Instituto São Fernando

Notícias

08.10.2009.Agroecologia

Time do ISF visita Município de Paraty para avaliação de possibilidade de projeto

Visita de técnicos de ISF ao município de Paraty

Visita do time ISF a manguezais em Paraty

Técnicos do Instituto São Fernando (ISF) realizaram em agosto de 2009 uma visita ao município de Paraty, na costa verde do Estado do Rio de Janeiro. Representavam o ISF o seu Coordenador de Agroecologia, Sr. Idelberto Miranda, e dois participantes do projeto Talents 2009: Briana Swette e Calvin Johnson. O objetivo da visita foi prospectar dados para a avaliação da viabilidade de projeto em Paraty, apoiado pelo ISF. Deborah Levinson, Diretora Executiva do Instituto, relata que um dos aspectos fundamentais na seleção de um projeto para o portfólio do ISF é que ele esteja aderente à proposta administrativa do governo local beneficiado pelo projeto.

A visita contemplou uma reunião do time do ISF com o Sr. César Romero Stanisce Dutra, Secretario Adjunto de Pesca, vinculado à Secretaria de Pesca e Agricultura de Paraty. O objetivo da reunião foi conhecer os projetos atuais que visam à criação de frutos do mar e à proteção e recuperação dos manguezais. Também foram mapeados os diferentes tipos de pesca na região – da pesca artesanal à pesca comercial – e quais as atividades que estão sendo desenvolvidas para que seja respeitada a legislação vigente. A visita também proporcionou o encontro com uma liderança de pescadores local, o Sr. Almir Tã, o que possibilitou verificar como é a relação dos pescadores com o poder público local, e sua percepção sobre os projetos que estão sendo desenvolvidos, principalmente para a geração de renda e preservação do ambiente marinho e costeiro da região. Para Almir, o poder publico não estende o planejamento dos projetos aos pescadores. “Geralmente os projetos já vêm prontos e não atendem às demandas da comunidade”, afirma Almir. Um exemplo é o projeto Robalo, que inicialmente foi bem sucedido mas por ter contemplado poucos pescadores, fez com que outros começassem a sabotar o projeto em geral.

No caminho à Paraty o time do ISF também visitou o Manguezal do Ariró, às margens da Rodovia Rio-Santos, por uma trilha beirando o rio de mesmo nome. Foram observadas as atividades desenvolvidas pela Prefeitura de Paraty em relação à fiscalização dos manguezais, impedindo a coleta de caranguejos de forma desordenada. Também foram conhecidos os projetos de fiscalização da pesca na época de defeso e de coleta de óleo de cozinha, para que não seja jogado na baía de Paraty. Muitos projetos realizados na região referem-se à criação de frutos do mar – como ostras, mexilhões, mariscos – e à criação em cativeiro de peixes de alto valor comercial. Foi percebida a expectativa dos pescadores e do governo em relação à criação da macroalga Kappaphicus alvarezzi, apontada como provável fonte de geração de renda para os pescadores e seus familiares.

Idelberto Miranda afirma que dentre as perspectivas advindas da visita existe a possibilidade de desenvolver uma relação de parceria com as instituições atuantes nos projetos desempenhados em Paraty, e que vão ao encontro do planejamento estratégico do ISF.

Para mais detalhes técnicos do projeto Vida Marinha, acesse o projeto.

Tags:  ,

25.09.2009.Agroecologia

Equipe do Instituto São Fernando aprende nova prática em evento sobre Agroreflorestamento em Ubatuba

Foi realizado de 5 a 7 de setembro de 2009 um evento ligado a Agroreflorestamento com o consultor suíço Ernst Goetsch, especialista no tema. Briana Swete, uma das estudantes do projeto Talents 2009, representou o Instituto neste evento, com o intuito de conhecer práticas de benchmarking em um projeto bem sucedido. Briana teve a oportunidade de aprender a metodologia do agroreflorestamento do especialista na mata de Ubatuba, em um curso do Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica (IPEMA).

Ernst Goetsch é um pesquisador pioneiro no campo da agrofloresta. Começou a implementar Sistemas Agroflorestais (SAF) há 25 anos em sua fazenda em Piraí do Norte, no sul da Bahia. Ali, ele foi capaz de recuperar a floresta nativa e criar um sistema de alimentos com alta produtividade. Os seus métodos demonstram o potencial da agrofloresta para promover uma vida rural sustentável.

Em aulas teóricas e práticas foram transmitidos os princípios naturais básicos para a agrofloresta, e também como usar esses princípios para criar um SAF saudável. Depois de um dia de palestras e uma demonstração de como aplicar o conhecimento ganho, os participantes e Ernst implementaram uma SAF na terra da IPEMA. Como o SAF exige conhecimento-intensivo, a experiência em campo ajudou a solidificar os detalhes, além de assegurar o aprendizado.

Entre os participantes do curso havia estudantes, professores, pesquisadores, agricultores e famílias que têm interesse na agroecologia ou querem implementar SAF em suas próprias terras. Os participantes locais compartilharam o aprendizado de que é sempre importante ter conhecimento local para implementar um sistema assim. Como a experiência de Ernst é no sul do Bahia, ele contou com pessoas locais para saber quais espécies são bem sucedidas na região. Essa dinâmica mostrou ainda como adaptar as técnicas de Ernst para uma região diferente, o que é muito importante para o Instituto São Fernando, que trabalha no Vale do Café.

O Instituto tem muito interesse em incluir sistemas agroflorestais no projeto de Restauração da Mata Atlântica que está sendo desenvolvido atualmente. O ISF reconhece que Sistemas Agroflorestais podem ser uma outra atividade que gerem sinergias com a produção orgânica da Associação Orgânicos do Vale com os esforços para reflorestar áreas degradadas do Vale do Café, mediante apoio aos agricultores para incluírem agrofloresta em seus sistemas. A participação do ISF neste evento é um exemplo da importância da prática de benchmarking para o desenvolvimento dos projetos.


10.09.2009.Institucional

Talents 2009: um Programa de Intercâmbio Social inovador

Talents 2009

Johnson, André Zollinger, Briana Swette, Guilherme Cezar Coelho, André Dametto, Max Branzburg

De junho a setembro de 2009 o Instituto São Fernando contou com o apoio de sete estudantes de universidades americanas, os Talents 2009. O objetivo do programa foi desenvolver técnica e gerencialmente os projetos do Instituto, através de práticas de benchmarking e planejamento. Cinco dos estudantes eram da Universidade de Stanford (Califórnia, EUA), um de Berkeley (Califórnia, EUA) e um de Princeton (Filadélfia, EUA).

Dentre os principais resultados gerados nos projetos, destacam-se: o planejamento detalhado do Centro de Políticas Públicas, um dos projetos mais promissores do Instituto; a estruturação dos projetos de Vida Marinha, Reflorestamento e Agricultura Orgânica, que se referem ao Programa Agroecologia; e a análise quantitativa de dados dos alunos da rede municipal de Vassouras desde 2004. Para gerar estes resultados foi necessário o envolvimento direto dos Talents com as comunidades impactadas. Calvin Johnson, estudante de Berkeley, relata que precisou aprender o que estava acontecendo no projeto de Orgânicos e na indústria de agricultura na região de Vassouras. “Eu fui à cidade, falei com o gerente da associação, com associados, produtores convencionais, empresários da industria de agricultura convencional e com políticos”, afirma Calvin.

O projeto Talents 2009 foi marcado por seu caráter inovador, uma vez que o Instituto atuou na seleção de estudantes em instituições de primeira linha, na alocação dos mesmos nos projetos do portfólio de acordo com suas competências e interesses, no monitoramento dos resultados gerados e na avaliação final do projeto. Cada Talent teve a oportunidade de planejar e apresentar seus produtos em reuniões de acompanhamento. “Escrevi um relatório com informação específica e detalhada sobre as minhas idéias para o projeto, e com algumas sugestões estratégicas. Este relatório vai servir para informar os coordenadores do projeto dentro do ISF e os stakeholders fora do ISF também.”, explica Calvin.

Para proporcionar uma estada agradável aos participantes, o Instituto disponibilizou hospedagem em um agradável apartamento no bairro do Leblon, Rio de Janeiro, além de ajuda de custo para gastos diários dos estudantes. Dentre as maiores surpresas apontadas pelos estudantes, destaca-se a grande estrutura de projetos que o Instituto gerencia, apesar de sua estrutura enxuta. Também apontam o idealismo da proposta do Instituto como um grande diferencial na atração de estudantes talentosos. Max Branzburg, estudante de Princeton, apontou que seu intercâmbio no ISF foi espetacular, principalmente em razão da visão ambiciosa dos líderes do ISF, os contatos que foram desenvolvidos e as metas que os projetos começaram a alcançar. Para mais detalhes técnicos do projeto, acesse o Projeto Talents.

O objetivo do Instituto São Fernando é sustentar os ganhos trazidos pelo Talents 2009, além de aumentar a diversidade dos estudantes envolvidos. Sendo assim, o projeto Talents 2010 mesclará estudantes de instituições brasileiras e estrangeiras. O processo seletivo para a segunda turma já está aberto. Os interessados devem encaminhar para o Instituto o currículo profissional e uma redação em língua portuguesa com o seguinte título: “Como eu posso apoiar o Instituto São Fernando a alcançar resultados cada vez melhores em seus projetos”. O e-mail de contato é: contato@institutosaofernando.org.br. Divulgue esta causa de talento.

Tags: